Momento APAMT

NOTÍCIAS

Início das atividades APAMT 2017

Com o objetivo de dar seguimento ao sólido trabalho que vem sendo realizado ao longo dos últimos anos, promovendo o desenvolvimento técnico-científico e ético dos Médicos do Trabalho, iniciamos as atividades da APAMT de 2017. Pedimos aos associados que se mantenham na APAMT e participem ativamente conosco. E aos colegas que ainda não são sócios, aproveitamos para convidá-los a se associar. A participação de todos é importante para uma Medicina do Trabalho forte e representativa.

.

Saiba + >>

Já conhece os benefícios de ser sócio APAMT/ANAMT?

  • Participe das reuniões científicas APAMT gratuitamente;
  • Ganhe desconto nas inscrições de cursos e congressos APAMT/ANAMT;
  • Participe das atividades de nossas parceiras: ACAMT (SC), SOGAMT (RS) e APMT (SP) com os mesmos descontos dos sócios destas instituições;
  • Faça cursos de atualização e preparatório para a prova de título de especialista;
  • Frequente os eventos sócio-culturais promovidos pela APAMT.

Como me associo? >>

VI Curso de Atualização em Medicina do Trabalho

De 10 de março a 8 de abril a APAMT promove, em Curitiba, o VI Curso de Atualização em Medicina do Trabalho. A proposta do curso, além de atualizar, é de consolidar os conhecimentos do Médico do Trabalho nos mais variados temas como Políticas Públicas de Saúde do Trabalhador, Gestão de Saúde e Segurança do Trabalho, Doenças Ocupacionais, Toxicologia e Legislação, entre outros.

 

Saiba + >>

APAMT forma seu primeiro Comitê de Ética

Saiba + >>

PERFIL DO MÉDICO DO TRABALHO

A boliviana Claudia Villamil Rios veio para o Brasil acompanhando o pai, que foi transferido para o país a trabalho. A graduação foi feita em Florianópolis e, após a formatura, em 2006, ela se mudou para Curitiba para fazer um estágio no Hospital Evangélico. "Comecei a trabalhar com medicina ocupacional por acaso, quando fui chamada para cobrir férias de uma amiga na Volkswagen, e me apaixonei pela área", explica.

Na mesma época começou a trabalhar no Wal-Mart, onde conheceu a Dra. Lucimara Roldan Boaretti e, juntas, decidiram fazer o curso de Medicina do Trabalho. Sua próxima parada foi na Renault. "Em cada experiência tive a chance de fazer ótimos amigos, que levo comigo até hoje. A Renault foi uma grande escola na parte de Medicina do Trabalho. Lá pude conhecer o Dr. Paulo Zetola, que também foi uma das pessoas que me incentivou a estudar Medicina do Trabalho." A especialização teve início em 2008, na Universidade Federal do Paraná, e hoje ela atua na Aethra Sistemas Automotivos, Brose do Brasil e Jtekt Ltda.

Outra paixão da Dra. Claudia são os esportes, no tempo livre se dedica às atividades físicas. "Foi em Curitiba que aprendi a gostar de corrida, adoro musculação, kangoo jump e vários outros. Acredito que graças aos esportes tenho facilidade de fazer amigos", comemora. As viagens também estão na lista de desejos para os momentos de folga, "adoro conhecer lugares novos, comidas, costumes e outras culturas, isso me ajudou  a perceber  as coisas de um jeito diferente. Não existe melhor nem pior, simplesmente diferente".

Apesar de não ser Curitiba, a Dra. Claudia diz que aprendeu a amar e respeitar a cidade como se fosse sua cidade de origem. "Foi nela que conquistei verdadeiros amigos, oportunidades de crescer profissionalmente e, especialmente, construí minha família." Casada com Fabio Rodrigo D´Angelis, eles atualmente estão aguardando a chegada do filho Rodrigo.

 

AGENDA

Confira a agenda anual de atividades que serão promovidas pela APAMT em 2017! CLIQUE AQUI.

10/03 a 08/04: VI Curso de Atualização em Medicina do Trabalho e Preparatório para a Prova de Título da ANAMT.

1/04: Reunião Científica APAMT: Desenvolva a Comunicação de sua Produção Científica de Forma Simples e Objetiva.

4 a 6/05: Seminário Sul Brasileiro da ANAMT.

6/05: Prova de Título de Especialista em Medicina do Trabalho.

ANIVERSARIANTES

Aniversariantes de Fevereiro

03 - Dante José Pirath Lago
04 - Fabiana Araldi Varella
11 - William Ribas e Targa
12 - Daniel Zeni Rispoli
13 - Cezar Augusto Presibella Junior
14 - Fabrício Cascardo Hito
16 - Andréa Rosalino de Araujo
21 - Virginia Frazão Cornelsen
23 - Sergio Ricardo Lazarini
24 - Ederson Crippa
27 - Eliana Figueiredo Cheke

Aniversariantes de Março

01 - José Francisco Capraro Suriano
02 - José Augusto da Cunha Grohmann
07 - João Luiz da Nova Alves
08 - Adriane de Almeida Góes Da Conceição
09 - Carlos Alberto Colonese Pinto
11 - José Maria Ribeiro de Campos
13 - Renata Pavão Moreira
14 - Erasmo Henrique de Mello Pereira
17 - Simone Maria de Moura Woltmann
18 - Jose Sebastiao de Souza Filho
18 - Sandro Artur Buso
21 - Edcesar Vicente Leite
25 - André Gustavo Ghetti Noronha
26 - Waldemar Geteski Junior
31 - Carlos Eduardo da Silva Santos

ARTIGO

A indústria e a saúde

Em tempos de mídias sociais e liberdade de expressão temos visto muitas manifestações, muitas vezes míticas,  acerca da influência da indústria nas decisões médicas. Também tenho visto mitos relacionados à não liberação de novos medicamentos pelos laboratórios com o intuito de manter as doenças ativas.

Ora, se assim fosse, a expectativa de vida dos brasileiros não teria aumentado pelo menos 20 anos nos últimos 20 anos. Isso só ocorreu pelo grande desenvolvimento científico, tecnológico e novas descobertas.

É claro que o médico tem um grande protagonismo na divulgação deste desenvolvimento, não porque é influenciado economicamente pela indústria, mas porque é o vetor de seu uso a favor da saúde do paciente. Contudo, esta situação é muitas vezes distorcida pelos órgãos pagadores, que querem fazer crer que toda a inovação é desnecessária visto que aumentam seus custos.

Por certo que existem alguns indivíduos que não se comportam de maneira ética em relação ao assunto mas são uma, com o perdão da redundância, pequena minoria.

Sem dúvidas precisamos encontrar o equilíbrio entre aquilo que é ético, necessário e útil para a saúde do paciente e esta é uma obrigação de todos, seja da indústria, das operadoras de saúde, do médico e do próprio usuário.

Para uma convivência pacífica várias entidades têm se esforçado para o estabelecimento de regras. Por exemplo, a RDC 96 de 17 de dezembro de 2008 da ANVISA, em seu título VII, regula os requisitos para propaganda ou publicidade em eventos científicos e o respectivo patrocínio.

A Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) mantém um código de conduta de boas práticas no relacionamento entre a classe médica e a indústria farmacêutica assinado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), a Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), com a filosofia de aperfeiçoar e fortalecer o relacionamento baseado em ética, respeito, confiança e compreensão dos limites de cada atividade. Restringir as práticas em desacordo com as condutas éticas e transparentes será fundamental para proteger e dar a melhor assistência ao paciente.

Por último, o Código de Ética Médica é muito claro em seu posicionamento sobre o assunto no artigo 68 quando diz ser vedado ao médico “exercer a profissão com interação ou dependência de farmácia, indústria farmacêutica, óptica ou qualquer organização destinada à fabricação, manipulação, promoção ou comercialização de produtos de prescrição médica, qualquer que seja sua natureza.”

Desta forma pode se dizer que existe a vontade institucional de manter a ordem no sistema de forma a proteger e beneficiar a sociedade.

José Clemente Linhares (CRM-PR 10.099)
Cancerologista e Mastologista
Conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Paraná


Quer contribuir para o informativo APAMT ?
Envie seu artigo com um tema de interesse da classe médica ou da Medicina do Trabalho para apamt@apamt.org.br!