Momento APAMT

NOTÍCIAS

Com palestrantes internacionais, congresso reúne mais de 200 médicos do trabalho em Curitiba.

Curitiba sediou, entre os dias 24 e 26 de novembro, a XXXI Jornada Paranaense de Saúde Ocupacional e IV Congresso Paranaense de Medicina do Trabalho, juntamente com o II Simpósio Paranaense de Higiene Ocupacional e II Encontro Ibero-americano de Saúde do Trabalhador. Os eventos, promovidos pela APAMT, reuniram mais de 200 participantes.

.

Saiba + >>

Reunião Científica discute a responsabilidade civil do médico do trabalho

A última Reunião Científica da APAMT deste ano discutiu, em 29 de outubro, a Responsabilidade Cível do Médico do Trabalho Frente ao Litígio Trabalhista. O diretor da APAMT, Rogério Rogenski, explanou sobre a situação do médico nas disputas judiciais entre funcionário e empresa e como o profissional de saúde pode se precaver de eventuais responsabilizações nestas divergências legais.

Saiba + >>

Presidente da APAMT participa da Jornada Gaúcha de Medicina do Trabalho

A Sociedade Gaúcha de Medicina do Trabalho realizou, de 20 a 22 de outubro, a 23ª Jornada Gaúcha de Medicina do Trabalho. O Dr. Paulo Zétola participou do evento ao lado da Diretoria regional da SOGAMT, a diretora científica da ANAMT, Dra. Elizabeth Dias, e a vice-presidente da Associação Catarinense de Medicina do Trabalho, Dra. Ana Maria Ribeiro.

 

Ver fotos >>

XV Fórum Presença ANAMT debate saúde, segurança, produtividade e vida pessoal

Saiba mais >>

APAMT tem nova diretoria a partir de janeiro

Durante a XXXI Jornada Paranaense de Saúde Ocupacional, os sócios da Associação Paranaense de Medicina do Trabalho elegeram sua nova diretoria, que administrará a entidade no biênio 2017-18.

Saiba + >>

ANAMT divulga gabarito da XLI Prova de Título de Especialista

Acesse aqui >>

PERFIL DO MÉDICO DO TRABALHO - Paixão de infância

Desde pequeno o Dr. Paulo Zétola já dava sinais de que seguiria a carreira médica. O mais velho de cinco irmãos lembra com carinho das visitas do Dr. Plínio de Matos à casa de sua família, "Com cinco crianças o agito em casa era grande e doenças não faltavam, por isso ele estava sempre lá e todas as vezes era só deixar a mala aberta que eu pegava o estetoscópio pra brincar".

A educação básica foi em colégio espírita e a aprovação em Medicina foi decorrência de dois anos de estudo intenso. Ainda na infância e adolescência desenvolveu a paixão pelo esporte; "fui mais atlético que cultural e musical. Estudei  capoeira durante seis anos, me formei como contra mestre e ia muito bem nos treinos, mas me batia na parte do berimbau. O esporte ajudou muito na minha formação, entendimento da cultura, no valor, no respeito, estava dentro tudo dos ensinamentos".

Além da capoeira, o vôlei também teve um papel importante na vida do Dr. Paulo, e até hoje as atividades físicas são indispensáveis para ele, que joga futebol, tênis e também faz corridas regulares para manter a forma.

O resultado positivo no vestibular, coincidentemente, veio de outro médico amigo da família, o Dr. Trajano Reis Cavalcanti, que ligou para informar o nome de Paulo Roberto Zétola na lista de aprovados.

"Iniciei assustado, mas tinha vários amigos que já conhecia do colégio e logo me interessei pelo movimento estudantil, estava muito forte na veia, e dentro do movimento tinha o grêmio interno da turma, do qual fui presidente por dois anos e meio. Ai já comecei a desenvolver o interesse pela gestão e a parte administrativa, formatei indicadores pra arrecadação de dinheiro pra formatura, competindo com outras turmas, e criamos até um jornal interno", conta saudoso. Além do grêmio, o Dr. Paulo também participou do Diretório Acadêmico Nilo Cairo, onde foi diretor esportivo e social; "foi um período que me marcou muito e me deu a experiência que uso hoje participando da APAMT".

A participação nas atividades extra-classe se deu durante toda a vida acadêmica. "Tudo isso foi muito intenso para mim durante a universidade. Já tinha essa preocupação de ir além das atividades individuais e também tinha uma visão voltada à sociedade. Só parei quando chegou a hora de ir pro internato e então precisei focar em coisas diferentes.

Durante a faculdade o Dr. Paulo procurou experimentar a várias especialidades. "Não tínhamos ligas acadêmicas como temos hoje e acabei me vinculando tanto que hoje sou professor da disciplina de saúde e trabalho da UFPR há três anos. Isso me enobrece e me dá muito orgulho de ter participado ativamente da universidade, motivou para que me mantivesse como professor."

Mesmo tendo passado por várias especialidades a que mais chamou a atenção foi a Medicina do Esporte. Graças a ela o Dr. Paulo atuou como médico do Coritiba Futebol Clube, cuidando dos times do juvenil e do júnior. "Acompanhava os jogos, entrava em campo e ali me apaixonei e acabei indo pro São Paulo FC, onde comecei a fazer um estágio e a especialização de Medicina Esportiva na Universidade Federal de São Paulo."

De volta a Curitiba, em 1992, iniciou a especialização em Medicina do Trabalho (ainda não tinha residência) e conseguiu uma colocação na Siemens Telecomunicações, onde ficou durante cinco anos, período durante o qual foi aprovado na prova de título (1995) e fez mestrado em ergonomia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Em seguida fez a tese, com mesmo tema. "Entreguei a tese no ano 2000, logo após o nascimento da minha filha, então foi uma época muito especial para mim."

A proximidade com o setor automotivo teve início no fim da década de 90, quando foi trabalhar na recém-chegada fábrica da Chrysler, em Campo Largo. Em 2001 foi chamado para a Renault, onde desenvolveu uma carreira sólida e intensa, sendo hoje responsável pelas equipes de toda a América Latina. "A experiência desses 15 anos tem sido muito interessante e de grande valia. Tive oportunidade de fazer vários programas que hoje são referência e que nos permite ter crescido muito no trabalho desenvolvido." Nesse período a necessidade de atuar também como gestor fez com que buscasse um MBA em Gestão da Saúde.

A parte social foi correndo em paralelo à carreira profissional. O primeiro contato com a APAMT foi em 94, sendo que ficou durante um período, saiu, para retornar em 2013 como presidente. "Estar à frente da Associação e ter a oportunidade de conviver mais de perto com os colegas, conhecer as dificuldades, promover atividades para todos crescermos e melhorarmos foi uma grande experiência pra mim, assim como no sentido de trabalho voluntário, de motivar os colegas e buscar resultados."

O Dr. Paulo é casado com a Dra. Viviane, que conheceu durante a faculdade na biblioteca, e eles têm duas filhas, Isadora e Paloma. "Elas são a minha base, acredito que elo familiar é fundamental para encarar os desafios que a vida nos impõe todos os dias." Para o futuro a ideia inicial é passar mais tempo com a família e, a longo prazo, finalizar um livro.

AGENDA

16/01 - Primeira reunião de diretoria para definição do calendário anual da APAMT e planejamento de atividades para 2017.

ANIVERSARIANTES

Aniversariantes de Dezembro

01 - Nelly Mayumi Kon
02 - Balford Rafaeli Abaunza Sanchez
05 - Fernando Geraldo Demario
07 - Raul Carlos Dias
10 - Leandro Coneglian
10 - Roberto Feitoza Silva
11 - Thiago Rabito Tanuri
15 - Maristela Ten Caten Rocha
18 - Luiz Antonio Broglio
20 - Antonio Vendramin Filho
20 - Mauri Coura
23 - Rosane Moreira Da Silva

Aniversariantes de Janeiro

01 - Cristina Sayuri Nita
05 - Eduardo Luiz Troian
06 - Carlos Reimir Schreiner Maran
07 - Murilo Da Silveira Filho
09 - Mario Martins
10 - Omar Fayez Omar
11 - Rafaello Popa Di Bernardi
15 - Antonieta Quirillo M. Handar
18 - Nilson Bernardo Martins
20 - José Ricardo Facin Ferreira
20 - Walter da Silva
27 - Elisabete Kakinoana Nakao
27 - Osni De Melo Martins
31 - Rogerio Anthony Rogenski

ARTIGO

Lutas, desafios e conquistas

  • Número de associados na APAMT - Aumentar do número inicial de 235 para 300
    Alcançado em 2016: 281
  • Número de especialistas na APAMT - 50 aprovações de títulos de novos especialistas
    Alcançado em 2015: 33
    Alcançado em 2016: 45
  • Número de eventos científicos e socioculturais - Realizar 20 eventos científicos e socioculturais
    Alcançado em 2016: 11
  • Qualificação do médico do trabalho - Desenvolver cursos de extensão em medicina do trabalho – 100%
  • Caixa financeiro da entidade - Aumentar em 10% Caixa financeiro atual
    Alcançado no biênio 2015/2016: 11%