APAMT

LOGIN PARA ASSOCIADOS

Curta nossa página no Facebook

Notícias

27/07: DIA NACIONAL DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO

24/07/2018 11:05:04

Acidentes de trabalho no Paraná têm queda de 18,5% em três anos

Estado registrou 43.209 ocorrências em 2016, quase 10 mil a menos que em 2014, mas ainda se mantém em 4º lugar no país

Ao longo de 2016 foram registrados no Brasil 578,9 mil acidentes de trabalho. Apesar de alta, a quantidade teve queda de 7% em relação a 2015, quando atingiu 622,3 mil, e de 18,7% se comparado com 2014, quando somou 712,3 mil ocorrências. Assim como em anos anteriores, os trabalhadores da área de serviços foram os mais afetados, com 83.990 registros (14,5%), seguidos por aqueles que desempenham funções transversais, que corresponderam a 10,39% do total. As partes do corpo mais atingidas se mantiveram nos membros superiores, especialmente punho e mão, com ferimentos, fraturas e traumas superficiais, totalizando 117.697 ocorrências, ou 20,3% dos acidentes. No que diz respeito à faixa etária, o maior índice é nos trabalhadores entre 30 e 34 anos.

Esses e outros dados do Anuário Estatístico da Previdência Social mostram que também o Paraná teve redução de acidentes de trabalho pelo terceiro ano consecutivo, passando de 52.977 em 2014, para 47.866 em 2015 e, finalmente, 43.209 em 2016, uma queda que significa 18,5% menos acidentes em três anos. Os acidentes típicos são a maioria, seguidos dos de trajeto e, por fim, doenças. Em números absolutos o Estado manteve o 4º lugar no país, ficando atrás de São Paulo (198.354), Minas Gerais (58.848) e Rio Grande do Sul (50.848).

Apesar de aparentemente otimista, essa redução no número de acidentes pode não refletir somente uma melhora nas condições de trabalho, com mais investimentos em saúde e segurança para o trabalhador, assim como uma maior conscientização da força de trabalho. A crise financeira pela qual o país vem passando, que reflete no desemprego, também pode influenciar a queda. De acordo com o IBGE, a taxa média de desocupação no Paraná passou de 4% em 2014 para 8% em 2016.

"Pode ser uma associação de fatores, tanto aqueles que nós, como profissionais da saúde, gostaríamos que fossem a razão exclusiva da queda, assim como aqueles resultantes da realidade atual do nosso país, como a diminuição dos vínculos formais de trabalho e a subnotificação de acidentes. Às vezes o próprio trabalhador pode ter receio de fazer o registro por medo de demissão", pondera o presidente da Associação Paranaense de Medicina do Trabalho, Dr. Guilherme Murta. "Precisaríamos de um estudo aprofundado, correlacionando todas as variáveis, para determinar as reais razões da redução."

Nesse contexto, é importante destacar também a quantidade de acidentes de trabalho que não são oficialmente registrados. Proporcionalmente, os números do Paraná estão muito próximos dos indicadores nacionais, com uma média de 16,81% de ocorrências não notificadas entre 2014 e 2016. "Essa questão é ruim especialmente para o trabalhador, pois não terá seus direitos assegurados e, muito provavelmente, também não receberá o atendimento e tratamento adequados para uma recuperação efetiva. Por isso o registro da CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) é essencial", explica o Dr. Guilherme.

Os acidentes relacionados ao trabalho são frequentes e podem atingir qualquer um, independentemente da atividade desenvolvida, apesar de algumas apresentarem mais risco que outras. Os acidentes impactam a vida do trabalhador, de seus familiares e demais colegas, tanto gerando sobrecarga aos que ficam, como influenciando sua saúde mental. Sabe-se que a maior parte dos acidentes poderia ser evitada ao empregar corretamente as medidas de segurança e cuidados com a saúde do trabalhador e aí entra o Médico do Trabalho, que tem papel fundamental na conscientização e na criação de ações e medidas de prevenção de acidentes.

O Médico do Trabalho é a pessoa responsável por avaliar e orientar o trabalhador na forma mais segura de exercer sua atividade. Um funcionário saudável e que não corre riscos desnecessários para cumprir suas tarefas deve ser o objetivo de toda e qualquer empresa, evitando assim faltas frequentes, acúmulo de tarefas para os demais colaboradores, custos indenizatórios, além de um clima desfavorável e de insegurança.

No dia 27 de julho comemora-se o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, uma forma de destacar o problema ao mesmo tempo em que se renova o compromisso com a prevenção, a saúde e a segurança no trabalho. A Associação Paranaense de Medicina do Trabalho recomenda: trabalhador, procure o Médico do Trabalho na sua empresa, ele cuida da sua saúde.

Fonte: Dados extraídos do Anuário Estatístico da Previdência Social 2016 (www.previdencia.gov.br/wp-content/uploads/2018/01/AEPS-2016.pdf)

 

voltar

 

hidea.com - agência web
Copyright © APAMT | Todos os direitos reservados.